1 de abr de 2012

Domingo de Ramos e Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo


Jesus Cristo entra em Jerusalém aclamado como rei. Ele não se ilude com tal manifestação, sabe o que acontecerá na Cidade Santa, como aquele mesmo povo que o saúda, preferirá Barrabás diante de Pilatos. Jesus é verdadeiramente rei. Diz isto para Pilatos. Mas é coroado de espinhos e recebe como trono a cruz. Foi para isto que ele veio; para ser obediente ao Pai até a morte, humilhando-Se, sendo flagelado e vilipendiado pelos soldados e pelo povo – aquele mesmo povo pelo qual Ele dava a vida – que passa diante da cruz. Vence a desobediência e a soberba de Adão.

Jesus morre por causa dos nossos pecados. Foi cada pecado meu e seu que O levou ao sofrimento, à humilhação, a Se sentir abandonado por Deus. E cada vez que pecamos, cada vez que rejeitamos Sua graça, é como se crucificássemos Jesus Cristo novamente.

Sendo verdadeiro Deus e verdadeiro homem, para nos libertar da escravidão do pecado, que veio através da desobediência e orgulho de Adão, sendo obediente e humilde, levou Seu amor por nós até o fim, morrendo na cruz. Seu sacrifício traz agora, para os que crêem, são batizados e perseveram no amor, a salvação.

Devemos amar a Deus sobre todas as coisas para retribuir o mesmo amor que Ele teve por nós, nos amando sobre todas as coisas, inclusive sobre si mesmo. Também devemos renunciar a nós mesmos, nossa vontade, para fazer a vontade do Pai, ainda que isto nos traga grandes sofrimentos. Depois de Jesus Cristo, não podemos mais duvidar do amor de Deus por nós.

Se duvidarmos, basta olharmos para o Crucifixo e saber que tudo isto foi por amor a você e a mim. E este mesmo sacrifício se torna presente em cada celebração da sagrada eucaristia, dom maior do Seu amor por nós. Olhemos para o Cristo crucificado. Que a contemplação de Sua imagem nos leve à conversão.

Um comentário: