24 de mar de 2015

Uma heresia chamada Teologia da Prosperidade

"Aquele que quer ser meu discípulo, renuncie a si mesmo, tome sua cruz a cada dia e Me siga". Jesus não mandou tomar o sucesso profissional, a mansão, a casa de praia, os dois carros importados, as três empresas e segui-Lo. Nem tomar a cura da bereba ou do caroço não sei onde. A única coisa que Jesus oferece aos seus discípulos é a cruz. Nada mais do que a cruz. A cruz é o caminho apertado. Não há outro. Jesus crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os gregos, é a porta estreita. A porta do aprisco. Quem prega outro caminho, mais cômodo e atraente, no seguimento de Jesus é ladrão e salteador, é um maldito herege que seduz as almas para o inferno.

Penso neste momento na Eucaristia. O sacrifício eucarístico é o mesmo e único sacrifício da cruz. É por isso que muitos discípulos ficaram escandalizados quando Jesus anunciou que daria como alimento Sua carne e Seu sangue - o que se realizou na última ceia, antes de Sua morte - e deixaram-No de seguir. E o que disse Jesus? Que estavam enganados, que o que Ele dizia era apenas simbólico? Não. Virou-se para os apóstolos e disse se eles queriam deixá-Lo também. Não há meias verdades para garantir ou atrair fiéis. É por isso que quem nega a Eucaristia nega a cruz e vice-versa.

Não se chega à glória da ressurreição sem passar pela cruz. Três apóstolos tiveram uma experiência da glória do Senhor na montanha - na Bíblia, o lugar de encontro com Deus. Sentiram as delícias da visão beatífica e quiseram ficar por lá. Mas tiveram que descer para a planície - na Bíblia, o lugar da batalha. Nós, discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo, enquanto vivemos - mesmo que em alguns momentos Deus nos mostre, ainda que num átimo, a felicidade do Céu - estamos, com o auxílio da graça de Deus, em constante batalha. Deus não nos promete felicidade neste mundo, mas luta, sacrifício, cruz. Se quiser ser verdadeiramente discípulo de Jesus, fuja de todos os que se dizem cristãos - pastores ou padres - e que querem transformar o cristianismo num mar de rosas. O caminho largo e fácil conduz a um único lugar, ao inferno.