29 de abr de 2011

O casamento do Príncipe William e Kate Middleton



Hoje, como é mais do que sabido, casaram-se na Inglaterra o príncipe William e Kate Middleton, evento que atraiu um público de um milhão de pessoas nas ruas de Londres e cerca de dois bilhões de telespectadores ao redor do mundo. Por que um casamento atrai tanta atenção? Além da beleza presente em toda a tradição monárquica, principalmente de uma monarquia que já governou um terço do planeta, casamentos reais são - com o perdão do trocadilho - contos de fadas reais ainda mais quando estão envolvidos um príncipe e uma plebeia. A possibilidade de o casamento entre William e Kate dar certo é a mesma de qualquer casamento de simples plebeus como nós. As dificuldades e alegrias do matrimônio são exatamente iguais a de todos nós. Mas os contos de fadas terminam exatamente no casamento, no "e foram felizes para sempre". O casamento de Diana e Charles despertou tanto interesse quanto este e sabemos que esteve longe de cumprir o epílogo dos contos. O casamento representa o ápice do amor entre um homem e uma mulher e neste mundo que julga-se moderno, onde os relacionamentos são efêmeros, ainda temos a esperança do amor verdadeiro e para toda a vida.

Casamentos na nobreza sempre despertaram o interesse da população, porque selavam acordos políticos ou histórias de amor. A aura da nobreza faz com que espelhemo-nos naquele casal como símbolo do amor perfeito e esperamos o mesmo para nós. É isso, a esperança alimenta o amor. O amor é como a guerra: ou você enche-se de glórias ou acaba morto. Mas esta morte só perdura se há desesperança. Aqueles que acreditam no amor são otimistas. Hoje, assistindo às belas imagens da cerimônia na Abadia de Westminster e nas ruas da capital inglesa, tivemos um verdadeiro banquete de esperança. Nos empanturramos dela. Bonitos ou não, ricos ou pobres, todos esperamos encontrar nossa princesa ou príncipe. Hoje, foi por isso que tanta gente parou em frente a tevê para ver um casamento. Só os chatos, os materialistas e os republicanos torceram o nariz. Esqueçam os gastos. Aqueles que pagaram a conta não demonstravam descontentamento nas ruas londrinas. Tal celebração não tem preço. E, tenho certeza, fez um bem a muitas pessoas. Rezemos para que Deus abençoe o príncipe William e Kate e que sejam realmente felizes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário