1 de mai de 2011

2º Domingo da Páscoa - Profissão de fé de São Tomé

A Boa Notícia de Jesus Cristo


João 20, 19-31


“Disse-lhe Jesus: Creste, porque me viste. Felizes aqueles que crêem sem ter visto.” (Jo 20, 29)


Ao anoitecer do domingo da Ressurreição, Jesus aparece aos apóstolos reunidos às portas fechadas. Entra demonstrando que, apesar de ser o Mestre, Aquele que foi crucificado, Seu corpo não era mais o mesmo corpo mortal, não estava mais preso às limitações do espaço. Os apóstolos e demais discípulos estavam com medo e por isso permaneciam escondidos e com as portas bem trancadas. Mas na primeira aparição do Ressuscitado a todos, Jesus mostra-lhes que devem continuar Sua missão. Como o Pai O enviou, Ele também os envia e dá-lhes o Espírito Santo para que possam levar ao mundo o que Ele conquistou na cruz: o perdão dos pecados. Estender a Divina Misericórdia até os confins da terra é a missão da Igreja.


Porém, um dos apóstolos não está presente: Tomé. Quando o encontram, seus companheiros alegremente contam que viram o Senhor. Todavia, ele não crê. Quer provas. Mais do que nunca, o mundo exige de nós, cristãos, as provas de nossa fé. Não crêem em nada que não possa ser medido ou experimentado. A fé em Jesus Cristo vivo entre nós não depende de vê-lo ou apalpá-lo, mas de um encontro pessoal com Ele. No domingo seguinte, Tomé está reunido com seus irmãos e o Senhor Se faz presente entre eles. Dirige-se a Tomé e mostra-lhe as marcas da crucificação. Sim, Tomé. O Jesus que viu pregado na cruz é o mesmo que está a sua frente, vivo, glorioso. Tomé crê e faz a profissão de fé na verdadeira humanidade e verdadeira divindade do Filho de Deus: “Meu Senhor e Meu Deus.”


Nós não vimos o Ressuscitado, mas, pela fé no testemunho da Igreja, devemos crer. Se não crermos que Jesus ressuscitou, nossa fé é vazia. A fé no Senhor Ressuscitado e no perdão dos pecados que a Igreja, sacramento de salvação, leva a todos os povos é a verdadeira paz que o Senhor nos dá. Não como a paz do mundo, mas, entre os mais variados sofrimentos de nossas vidas, lançamos o olhar sobre nosso Salvador e é em Sua misericórdia que depositamos nossa esperança. Aprendamos esta verdadeira paz, em meio as tribulações de nossas vidas, com o Papa João Paulo II, beatificado no dia de hoje, em Roma. Ele soube tomar a sua cruz a cada dia e oferecer cada sofrimento a Deus, unindo-se à cruz do Senhor para cooperar com a salvação da humanidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário