4 de fev de 2012

Jesus cura a sogra de Pedro

A Boa Notícia de Jesus Cristo

Marcos 1, 29-39

“Aproximando-se Ele, tomou-a pela mão e levantou-a; imediatamente a febre a deixou e ela pôs-se a servi-los.” (Mc 1, 31)

Jesus cura a sogra de Pedro e esta imediatamente se levanta e começa a servi-los. Não serve somente ao Cristo, mas a Pedro e aos apóstolos, ou seja, à Igreja. Não existe verdadeiro serviço a Cristo sem a Igreja. Sabemos que é um sábado e, pela lei, ficava proibido que a sogra de Pedro fizesse algum trabalho. Mas a experiência que tem com Jesus faz com que conheça o significado real do dia do Senhor como dia de serviço a Deus. O Senhor do sábado está ali.

A casa de Pedro se torna o Templo naquele momento. Aqueles que trabalham no Templo servindo a Deus não transgridem o descanso sabático, portanto, a sogra do apóstolo não pode ser acusada de desrespeitar a lei judaica e nem Jesus promove tal desobediência. Outros doentes foram curados naquele dia, provavelmente eles ou seus parentes ouviram Jesus pregar na sinagoga, porém, diferentemente da sogra de Pedro, estes continuavam presos na antiga lei, vieram somente ao término do sábado. Após as curas não consta que O serviram. Somos iguais a estes ou ela?

Jesus se comove diante do sofrimento humano. Assume a humanidade com todas as suas dores e dificuldades e sentirá toda a força do sofrimento em sua Paixão e morte na cruz. Será na cruz que Cristo realizará a cura definitiva da humanidade: nos livrará do pecado que é o maior e a origem de todos os males. Não eliminará a fraqueza humana e o sofrimento que são conseqüências do pecado original, mas dará toda a força do Seu Espírito para que, em Sua graça, possamos suportá-los.

Os sofrimentos físico e psíquico continuam sendo males, porém, a partir da morte de Jesus Cristo na cruz, Deus pode tirar um bem deste males desde que unamos nossos sofrimentos á cruz de Cristo, oferecendo a Ele tudo aquilo que nos faz sofrer. O Pai não é um sádico e nem nós, cristãos, somos masoquistas. O sofrimento faz parte da natureza humana. Jesus não prometeu acabar com nossos sofrimentos e nem uma vida confortável e sem problemas para quem O seguisse. Tenhamos plena confiança em Deus sabendo “que tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus” e que “os sofrimentos da vida presente não se compara a glória que nos aguarda nos céus”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário